Como as empresas estão lidando com funcionários dependentes químicos?

sergio-fotoSegundo a Associação Brasileira de Apoio às Famílias de Droga dependentes (Abrafam), estudos revelam que 80% dos usuários de cocaína e 70% daqueles que consomem outras drogas ilícitas são funcionários de empresas. Por isso, as empresas estão cada vez mais orientadas a adotarem programas de prevenção e tratamento sobre o tema.

A dependência química custa milhões de reais às empresas. Os dependentes químicos na ativa estão mais aptos a ficarem doentes, mais predispostos a acidentes de trabalho e lesões do que outros funcionários e causam danos diretos e indiretos a seus colegas de trabalho. Ou seja, prejuízo e danos para as empresas aonde trabalham.

No Brasil, metade das faltas e 40% dos acidentes de trabalho estão ligados à dependência química, principalmente do álcool. Para solucionar o problema, em vez de demitir, muitas empresas estão começando a oferecer aos seus funcionários serviços de prevenção e tratamento.

Como resultado da a implantação de programas de reabilitação dentro das empresas, observa-se que um funcionário dependente, quando participante do programa, chega a produzir cerca de 60% a mais do que um funcionário que nunca teve problemas com quaisquer dependências. Ou seja, realmente vale a pena o investimento das empresas nesse sentido.

Além de existirem recursos governamentais e jurídicos que permitem à empresa ser ressarcida do valor gasto com a recuperação de seus funcionários, acaba sendo mais lucrativo para as empresas tratarem um funcionário dependente químico do que o demitir.

Temos observado, no entanto, que usuários de drogas são encaminhados aos nossos consultórios e clínica, em número cada vez maior, pelas empresas que não sabem como lidar com este dilema. Percebe-se que ainda existe um tabu com programas de prevenção e combate ao uso de drogas, nas organizações e meio empresarial como um todo. Álcool, maconha e cocaína, entre outras drogas, são frequentes no ambiente de trabalho, mas seu uso muitas vezes passa despercebido.

É preciso que a empresa esteja “atenta” para algumas mudanças de comportamento de seus funcionários assim como queda na produtividade, apatia, ausência, agressividade – entre outros fatores – para que possa então identificar o que está acontecendo e intervir oferecendo o tratamento adequado.

É de extrema importância que, tanto empresas quanto funcionários, tratem a questão com o maior zelo possível, para que os direitos de todos sejam garantidos e para que não haja comprometimento do ofíci`o.

Um exemplo de empresa que se preocupa com o bem-estar e a saúde de seus funcionários é a Furnas Hidroelétricas.furnas

Agora todos os funcionários da Furnas Hidrelétrica que sofrem com dependência química (álcool e outras drogas) podem passar pelo tratamento adequado!

A Clínica Grand House acaba de firmar parceria esta empresa de geração, transmissão e comercialização de energia elétrica, que é comprometida com a responsabilidade social e que considera o meio ambiente uma componente fundamental no desenvolvimento de suas atividades.

A Furnas tem mais de 21 programas ambientais, entre os quais os de Monitoramento Hidrológico, da Ictiofauna e Limnológico, da Qualidade da Água e os de Manejo e Conservação da Fauna.

Parabéns a Furnas Hidrolétrica por mais esta iniciativa, que outras empresas sigam o mesmo exemplo!

Se você tem problema de dependência química na sua empresa, entre em contato conosco. Podemos ajudar, somos especialistas em Prevenção e Tratamento da Dependência Química e referência no Brasil há mais de 15 anos!

Sergio Castillo
Clínica Grand House
www.grandhouse.com.br
Tel: 11 4483-4524 / 4419-0378

Siga-nos em nossas fan pages: 
O Piloto por Uma Vida Sem Drogas 
Por Uma Vida Sem Drogas 
Clínica Grand House
Clínica Grand House – Por Uma Vida Sem Drogas 

 

Anúncios

O que existe por trás da raiva?

sergio2

Raiva é um sentimento normal. Sentir raiva cabe em certas circunstâncias. Porém para algumas pessoas é difícil ter consciência da raiva porque elas temem senti-la e expressá-la – o que pode resultar disto? Normalmente as pessoas têm medo de ser rejeitadas por sentirem raiva. Será que é vergonhoso sentir raiva?

Reprimir a raiva pode ser um modo de se proteger de algo que gostaríamos de evitar. Mas, enquanto a raiva for reprimida e não se buscar a origem, o conflito interno permanece.

Muitas vezes a raiva reprimida, a mágoa antiga, a não aceitação de diversas situações do passado pode resultar em doenças… inclusive na própria dependência química.

O que pode estar por trás da sua doença? O que está por trás de toda a raiva que você sente?

Será que é uma enorme necessidade de ser aceito, de receber carinho, admiração, reconhecimento, aprovação? Não ter recebido nada disto no passado e continuar ainda não recebendo podem gerar um sentimento de mágoa muito grande.

As mágoas sempre estão ligadas a situações de não consideração por parte do outro e são originadas na infância, muitas vezes desde o nascimento. São experiências que podem ser muito sutis, porém em algumas situações podem ser gravíssimas.

Sempre que você sentir mágoa ou raiva tente reparar em todos os sentimentos presentes e vá tentando buscar correlações com sua história de vida. As experiências mais graves são fáceis de serem lembradas, porém as mais sutis não e elas também causam muita mágoa.

Um bom detector que indica se a mágoa de hoje está relacionada com episódios do passado é a repetição dos eventos. Por exemplo, uma pessoa que muda de parceiro ou muda de trabalho e sempre se depara com as mesmas reclamações e sentimentos está presa nas situações do passado e as repetindo no presente. Isso já ocorreu alguma vez com você?

Se isto sempre acontece é necessário então fazer um resgate dessas emoções e situações, compreendê-las para assim transformá-las e diluí-las. Somente após esse processo você conseguirá vivenciar as experiências de outra maneira, livre das mágoas do passado.

É importante ter a consciência de que sem o aprofundamento e conhecimento do nosso interior dificilmente seremos livres e prósperos. A prosperidade incluí saúde física e emocional, felicidade, dinheiro, amor consigo e para com os outros, perdão ao outro e a si próprio, doação, entrega às experiências da vida com menos resistências internas. Se você tem sentimentos ruins atrapalhando sua vida, acaba bloqueando a prosperidade!

É necessário cuidar do mundo interior e emocional para diminuir o sofrimento e evitar atitudes destrutivas para com os outros e para si próprio. Direcionar a raiva ou ódio, provenientes de mágoas antigas, aos demais ou a você mesmo não solucionará nenhum problema, muito pelo contrário, trará muito mais sofrimento.

É fundamental entender o porquê da sua raiva, da sua mágoa… entender que outros sentimentos existem por trás da raiva, isto poderá ajudar a resolver uma boa parte do problema.

Busque ajuda de profissionais, de amigos, de grupos de apoio sempre que sentir que não consegue resolver esses sentimentos sozinho. O importante é não se isolar e reprimir os seus sentimentos, pois eles certamente se transformarão em doenças!

Sergio Castillo

Clínica Grand House
www.grandhouse.com.br
Tel: 11 4483-4524 / 4419-0378

Siga-nos em nossas fan pages: 
O Piloto por Uma Vida Sem Drogas 
Por Uma Vida Sem Drogas 
Clínica Grand House
Clínica Grand House – Por Uma Vida Sem Drogas